Esse relacionamento vale a pena?

Marcadores:
Ele tem muitas qualidades que você valoriza, mas também uns defeitos que você detesta. Na cama é uma beleza, na vida social é uma tristeza. Ele é um excelente pai, mas como marido deixa a desejar. Não adianta: somos um pacote cheio de qualidades e defeitos que determinam o rumo dos namoros e casamentos. Se o seu relacionamento não é exatamente como você queria, mas está longe de ser de se jogar fora, descubra se está na hora de investir ou desistir dele.

Quando as coisas não estão 100%, o negócio é colocar os prós e contras da relação na balança. Assim pensa a dentista Isa R., de 31 anos, casada há três. "Todo relacionamento passa por fases melhores e piores. Pra continuar junto, tem que insistir, não pode abrir mão de tudo que construiu logo na primeira dificuldade", diz, frisando que ninguém é perfeito. "Sempre que boto na balança as qualidades e defeitos do meu marido, as qualidades pesam mais. Por isso, continuo tentando fazer com que a gente viva em harmonia", conta a dentista, que já passou por momentos difíceis, mas conseguiu superá-los na base da conversa. "A gente tem toda a vida pela frente, planejamos ter filhos em breve e isso é muito maior do que qualquer desavença do dia a dia", garante ela.

A pessoa deve avaliar os valores, o compromisso, o nível de entrelaçamento das vidas de cada um, o círculo de amigos, como vão ficar os filhos.

A advogada Maíra X. tem 32 anos e seu namorado é bem mais novo: "Estamos em momentos de vida diferentes, ele ainda está tentando se firmar no trabalho, querendo um relacionamento leve e eu já estou macaca velha, mirando em casar e ter filhos". A advogada se diz ciente de que o namoro não vai longe. "Mesmo assim, acho que vale a pena ficar com ele por enquanto. Estamos apaixonados e viver uma paixão é sempre muito gostoso", defende, dizendo que vai terminar quando a paixão esfriar. "Não posso nem pensar em me afastar dele agora, seria muito sofrido", confessa.






Para qualquer relacionamento dar certo é preciso investimento emocional. A gente dá amor, atenção, cafuné, almoço aos domingos, lingerie nova e uma lista interminável de agrados. A analista de sistemas Nara P., 32, fez isso tudo até o dia em que se deu conta de que não tinha nenhum retorno. "Tudo o que eu fazia não dava em absolutamente nada. Ele não soube valorizar meu desejo de que desse certo e me percebi sozinha no relacionamento", lembra. Nara optou pela separação. "Até hoje choro pelo meu ex, mas estou certa de que fiz o que podia pelo casamento e que a situação era insustentável", diz.

O psicólogo Ailton Amélio é autor do livro "Para viver um grande amor" que toca nesse tema. Para ele, a decisão entre investir e desistir da relação é muito complexa, uma vez que envolve inúmeros fatores: "Há o lado romântico, sexual e o econômico. A pessoa deve avaliar os valores, o compromisso, o nível de entrelaçamento das vidas de cada um, o círculo de amigos, como vão ficar os filhos. É uma grande rede de fatores que envolvem a decisão". Ailton lembra que, diferente do que é mostrado nas novelas, uma relação não termina só porque o homem ou a mulher pensa que o amor acabou. "Crises são comuns e o amor pode voltar. Por isso, não se deve abandonar o barco no primeiro obstáculo", afirma.

Um relacionamento pode chegar ao fim quando os problemas tornam-se intoleráveis, o que, segundo o psicólogo, varia de pessoa para pessoa. "Para algumas, pode ser uma traição. Para outras, a agressão física. Se a coisa se repete, o episódio se torna suficiente para deixar o relacionamento", explica, ressaltando que há pessoas que mantêm uma relação infeliz por medo da solidão. "Os impedimentos para não conseguir sair de um casamento podem ser fictícios como o medo de não conhecer outro parceiro – de fora, sabemos que a pessoa tem todos os artifícios para que isso ocorra. Outros são reais, como o impacto social na vida dos filhos", finaliza.

Fonte: Bolsa de Mulher
  1. Adorei o texto! É sempre bom ter a visão de outros casos.
    Estou vivendo um momento para refletir. Estava namorando há cerca de quase um ano e meio. As coisas estavam esfriando entre nós. Todo aquele fogo da paixão de começo de relacionamento acabou (como acontece em todos). Eu não acredito que esse seja motivo para término de relacionamento, porém, meu namorado (ou ex) sim. Na verdade, nós estamos dando um tempo para refletir. Mas eu sou da seguinte opinião: hoje em dia os relacionamentos são descartáveis. Acabou a paixão, até mais ver! E seguem para novos relacionamentos seguindo o mesmo "padrão". E o amor verdadeiro? Aquele que dura pra sempre? Aquele que resiste chuvas e trovões? Acredito que ainda falta maturidade para ele entender...
    Estou sofrendo, pois ainda gosto muito dele, mas... estou seguindo com a vida.
    Bjos!!

Postar um comentário

Deixe seu comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...