Uma Grande Mulher: Orange is the New Black

Hey ho pitchuletes amadinhas!

Hoje estamos aderindo mais uma mulher à nossa série de posts 'Uma Grande Mulher'. Quer dizer, uma mulher só não né... VÁRIAS!!!

Não sabe do que estamos falando? Se ligue nessa super dica do Papo de Mulher:





Orange is the New Black é uma série da Netflix baseada em uma história real. Piper Kerman é uma loira americana que fez algumas coisas erradas na vida (ela se envolveu amorosamente com uma traficante de heroína, e lavava dinheiro para a organização) e acabou presa por 13 meses (sendo que sua pena original era de 15 meses, mas ela saiu mais cedo por bom comportamento) numa penitenciária de segurança mínima, onde vivenciou uma experiência única. Apesar de não ser um exemplo a ser seguido, Piper escreveu e lançou em 2010 um livro sobre sua experiência na cadeia, que fez muito sucesso. Seu livro inspirou a série da Netflix, sobre a qual vamos conversar hoje.





A série é divertidíssima, puxada bastante para a comédia, e traz a história de várias mulheres com quem Piper conviveu enquanto cumpria sua sentença, inclusive a dela. Na série, o sobrenome de Piper foi alterado de Kerman para Chapman. Nos primeiros episódios, ela se entrega voluntariamente para cumprir a sentença de 15 meses, após se declarar culpada do crime que cometeu há mais ou menos 10 anos (o mais irônico de tudo é que o crime de Piper iria prescrever em 12 anos...).


 Na foto, Taylor que interpreta Piper na série à esquerda, e a verdadeira Piper à direita.
(Obs: essa Taylor não é a cara da Katy Perry?)



No início, Piper parece uma loirinha babaca e meio inocente, patricinha e que só faz burradas. Porém, no decorrer da série, fatos da vida de Piper são mostrados, onde podemos compreender sua personalidade confusa e o romance lésbico que ela teve com Alex Vause, uma traficante de heroína para a qual ela lavava dinheiro.



O romance de Piper e Alex é febrio e contagiante. Porém, quando Alex começa a ser absorvida pelo tráfico, deixando Piper meio de lado, a protagonista se arrepende de tudo e vai embora, abandonando Alex bem no dia em que sua mãe morreu. Por isso, anos mais tarde, quando é presa, Alex entrega Piper como sua cúmplice, e por isso a mesma acaba presa. Para a tristeza dos adoradores de Alex, ela não é real. A personagem foi baseada em Nora Jansen, uma traficante bem perigosa, nem de perto tão sexy quanto Alex. Não encontrei uma foto nítida dela, mas dá pra ver que Alex foi totalmente fantasiada para dar um tesão à série (não critico isso, Alex deixa tudo mais intrigante). Mas a Piper real realmente teve esse caso lésbico com uma traficante, no caso, Nora.



Quando Piper encontra Alex na cadeia (na série), a mesma nega tê-la entregado, porém, Larry (noivo de Piper) tem acesso ao processo e conta para Piper que foi Alex a culpada dela estar presa. Larry, atualmente marido de Piper, também se deu bem em cima dessa história de cadeia. Apesar de na série ele ter sido traído por Piper que não se aguentou e caiu nos braços de Alex na prisão, ele se beneficiou pois se tornou colunista de um Jornal contando as experiências da noiva detenta.




Além desses personagens, existem outros que nos deixam intrigados. Um deles é a transexual Sophia, que foi presa por roubo de cartão de crédito. Antes de ser operada, ela era um bombeiro com esposa e filho. Sua esposa tenta apoiar sua decisão de ser mulher, porém seu filho não parece ser tão compreensivo. Na série, dá a entender que foi o filho de Sophia que causou sua prisão, sendo ela inocente. O mais interessante é que Sophia é interpretada por Laverne Cox, uma transexual de verdade. Nas cenas em que Sophia aparece como homem, é o irmão gêmeo de Laverne Cox que a interpreta.




Outra personagem que você inevitavelmente acaba adorando é Nicky Nichols. Ela é uma ex-viciada lésbica muito louca, que sempre diz verdades, entre elas muita besteira, e que te faz rir muito. É uma moça carente de mãe, mas parece ser uma excelente pessoa.



Também temos a russa Red, uma cozinheira durona. Nunca fale mal da comida dela.



Nem todo mundo é lésbica na série não. Temos a detenta Daya Diaz, que vive um caso amoroso complicado com o policial John Bennedtt. Ela acaba engravidando dele dentro da prisão, o que pode ocasionar a demissão e até mesmo a prisão de John. Por isso, ela resolve ajudar a cozinheira Red numa vingança contra o policial Mendez, acusando-o de estupro, sendo a suposta causa de sua gravidez.



Mendez, de tão retardado (apesar de mau caráter), você acaba não odiando. É um policial tarado, que trafica drogas dentro da prisão em troca de boquetes.




Mas a série não é só amores não. Quer odiar alguém? Pra isso temos a Pennsatuck. Ela é uma assassina viciada que matou uma mulher numa clínica de aborto (após fazer seu 5º aborto), e ganhou fãs que acharam que ela estava defendendo a causa anti-aborto. Isso lhe subiu na cabeça, e ela acredita ser uma enviada de Deus. Banca a crentona e atormenta a Piper, o que te faz odiá-la. Afinal, hipocrisia religiosa é asquerosa mesmo.



Existem muito mais personagens, porém, acho que esse conteúdo é o bastante pra você ficar com vontade de ver a série. É claro que rola muitos peitinhos e palavrões, mas é diversão garantida. A primeira temporada já está completa, e a segunda logo logo será lançada.

Já assistiu Orange is the New Black? Então comenta aí o que você achou.



Jakisses!!!



Fonte das informações inclusas no post:

Wikipedia
Wikipedia - Piper
Orange is the New Black WIKI
HUFFPOST TV
MARIE CLAIRE
O GLOBO

Postar um comentário

Deixe seu comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...