No hambúguer ou na salada, você sempre será gorda

Marcadores:
Você entra no quarto e se olha no espelho. O que você vê? Uma mulher de beleza própria, traços únicos e curvas sensuais exclusivas? É claro que não. Você vê um pneuzinho aqui e uma gordurinha localizada ali. Daí você se lembra do corpinho daquela moça na revista e decide fazer uma dieta.



A questão é que nos mulheres somos extremamente auto críticas. Por mais que estejamos lindas, se estivermos fora do padrão social, não estaremos contentes. E o padrão social qual é? Quanta mais magra, melhor. É por isso que uma das causas de morte feminina atual (além da campeã violência doméstica sempre em primeiro lugar) é a anorexia. Mulheres que sonham em ser cada vez mais magras acabam adoecendo por causa disso psicologicamente, e como consequência, fisicamente. Mas eu não culpo as mulheres, afirmando como todos que somos loucas, neuróticas e infelizes. Eu culpo a mídia e as pessoas em geral.



Todos os dias chovem padrões diante dos nossos olhos de mulheres perfeitas. Mas o segredo que ninguém conta é que 90% da imagem que vemos não passa de photoshop. Não que não existam mulheres sem celulite ou vasinhos, mas para garantir o mais próximo possível do padrão, a pessoa tem que desistir dos prazeres da vida e se tornar um escravo do corpo, o que também não é saudável.









É claro que não é saudável estar acima do peso. Mas existe uma diferença bem grande entre estar com um pouco de sobrepeso e obesidade prejudicial. Assim como existe uma boa diferença entre ser magra e ser anoréxica. Os extremos são prejudiciais, mas temos o direito do meio termo. Se você se alimenta bem durante a semana e faz exercícios, esse pneuzinho que não sai de jeito nenhum não faz de você obesa, muito menos feia.



Mas mulher sofre mesmo. Se ela se aceita e decide não ficar na paranoia, sempre tem alguém que vai cobrar a magreza padrão dela. Se você come um hambúrguer numa lanchonete escuta 'mas que gorda, se matando no hambúrguer'. Se você apela pra saladinha também escuta 'olha essa gorda achando que vai emagrecer'. De um jeito ou de outro, comparado com o padrão social absurdo, você sempre vai ser cobrada por cada caloria que come. Porque as pessoas puseram na cabeça que moça educada não come que nem homem. Que tem que comer menos. Que tem que viver de dieta. Que churrasco e cerveja não é pra mulher. Que se você ficar grávida, tem que fazer dieta louca assim que o bebê nascer pra recuperar o peso que você nem tinha. 




Isso é cansativo. Sapatos nº 36 nas prateleiras das lojas, e roupas P nas araras. Pra cabelo escuro, tinta loira. Pra cabelo crespo, chapinha. Pra pele escura, creme clareador. Pra olho castanho, lente azul. Pra sorriso torto, aparelho. Pra gordurinha localizada, lipoaspiração. Pra unhas curtas, unhas postiças. Pra nariz grande, plástica. Pra lábios finos, preenchimento. Pra cabelo curto, aplique. Pra seios e bunda pequenos, silicone. E se tudo isso ainda não estiver bom, photoshop.




Quando é que vamos parar de nos montar? De não nos aceitar? De não nos amar?



Jakisses!

Postar um comentário

Deixe seu comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...